O Sagrado

27,10 €
IVA Incluído

Ficha informativa

Autor Nilton Bonder
ISBN 9788532522221
Edição ou reimpressão 2007
Editora Rocco
Idioma Português
Dimensões 21 x 14 x 0,7 cm
Tipo de capa Capa mole
Nº de páginas 136
Tipo de produto Livro
Peso 169 g

Em tempos de busca pelo “segredo”, o rabino Nilton Bonder oferece ao leitor uma perceção sobre aquilo que deve, ou deveria, ser o motivo da procura pelos homens: o sagrado. Autor do bestseller A Alma Imoral, que virou monólogo de sucesso nos palcos cariocas com a adaptação e atuação premiada de Clarice Niskier, Bonder reflete, em O Sagrado, sobre a crença, popularizada pelos livros de autoajuda, de que o homem possui a chave para desvendar o mistério da vida e alcançar a plenitude, aqui e agora. No livro, o autor mostra por que o sagrado é antídoto para o consumismo desenfreado e o individualismo que imperam na atualidade. A ideia de escrever a obra surgiu do espanto do autor diante do sucesso de livros que oferecem um segredo capaz de mudar a vida das pessoas. Para Bonder, a busca incessante pela plena satisfação do desejo leva ao que ele chama de ‘religião dos indivíduos’, tão em voga na atualidade. Em nome da autorrealização, o homem se coloca no centro de um universo no qual ele é um sujeito especial, que merece consumir indiscriminadamente e acumular dádivas por suas conquistas. Para os que creem na soberania do indivíduo, Bonder adverte: o homem é frágil e vulnerável. O verdadeiro segredo, camuflado pelos livros de autoajuda, é ter consciência dessas limitações; é questionar o desejo como fonte absoluta de bem-estar, ao invés de simplesmente tentar preenchê-lo. “Pensar que somos o centro do universo só nos fez intolerantes e ignorantes no passado”, afirma. “Esse é um engano trágico que mais cedo ou mais tarde levará à frustração e à descrença”, completa ele. Em seu livro, ele mostra que o verdadeiro segredo é o “oculto do oculto”, ou o sagrado, justamente aquilo que a obviedade não permite enxergar e que não pode ser adquirido como um simples produto, disponível numa prateleira de supermercado. Ao contrário, para alcançá-lo, o homem precisa se libertar do que ele chama de ‘tirania do ego’, do culto ao indivíduo, abrindo espaço para o outro – a família, os amigos, a comunidade – em suas vidas. Distante do racionalismo que quer entender e do esoterismo que quer evocar, o sagrado acolhe a incerteza, fortalecendo as escolhas, abarca o vazio, permitindo a sabedoria, resgata a nobreza que há no simples e potencializa a verdadeira riqueza. “Não somos um fim, somos um meio pelo qual se dá um projeto muito além de nossa biografia individual. E essa não é uma má notícia. Ser parte e não a integralidade nos aproxima da realidade e possibilita a experiência do sagrado – de ser especial não como algo isolado, independente, mas inserido na Árvore da Vida”, conclui.

Quantidade

Em tempos de busca pelo “segredo”, o rabino Nilton Bonder oferece ao leitor uma perceção sobre aquilo que deve, ou deveria, ser o motivo da procura pelos homens: o sagrado. Autor do bestseller A Alma Imoral, que virou monólogo de sucesso nos palcos cariocas com a adaptação e atuação premiada de Clarice Niskier, Bonder reflete, em O Sagrado, sobre a crença, popularizada pelos livros de autoajuda, de que o homem possui a chave para desvendar o mistério da vida e alcançar a plenitude, aqui e agora. No livro, o autor mostra por que o sagrado é antídoto para o consumismo desenfreado e o individualismo que imperam na atualidade. A ideia de escrever a obra surgiu do espanto do autor diante do sucesso de livros que oferecem um segredo capaz de mudar a vida das pessoas. Para Bonder, a busca incessante pela plena satisfação do desejo leva ao que ele chama de ‘religião dos indivíduos’, tão em voga na atualidade. Em nome da autorrealização, o homem se coloca no centro de um universo no qual ele é um sujeito especial, que merece consumir indiscriminadamente e acumular dádivas por suas conquistas. Para os que creem na soberania do indivíduo, Bonder adverte: o homem é frágil e vulnerável. O verdadeiro segredo, camuflado pelos livros de autoajuda, é ter consciência dessas limitações; é questionar o desejo como fonte absoluta de bem-estar, ao invés de simplesmente tentar preenchê-lo. “Pensar que somos o centro do universo só nos fez intolerantes e ignorantes no passado”, afirma. “Esse é um engano trágico que mais cedo ou mais tarde levará à frustração e à descrença”, completa ele. Em seu livro, ele mostra que o verdadeiro segredo é o “oculto do oculto”, ou o sagrado, justamente aquilo que a obviedade não permite enxergar e que não pode ser adquirido como um simples produto, disponível numa prateleira de supermercado. Ao contrário, para alcançá-lo, o homem precisa se libertar do que ele chama de ‘tirania do ego’, do culto ao indivíduo, abrindo espaço para o outro – a família, os amigos, a comunidade – em suas vidas. Distante do racionalismo que quer entender e do esoterismo que quer evocar, o sagrado acolhe a incerteza, fortalecendo as escolhas, abarca o vazio, permitindo a sabedoria, resgata a nobreza que há no simples e potencializa a verdadeira riqueza. “Não somos um fim, somos um meio pelo qual se dá um projeto muito além de nossa biografia individual. E essa não é uma má notícia. Ser parte e não a integralidade nos aproxima da realidade e possibilita a experiência do sagrado – de ser especial não como algo isolado, independente, mas inserido na Árvore da Vida”, conclui.

1100
2 Itens

Ficha informativa

Autor
Nilton Bonder
ISBN
9788532522221
Edição ou reimpressão
2007
Editora
Rocco
Idioma
Português
Dimensões
21 x 14 x 0,7 cm
Tipo de capa
Capa mole
Nº de páginas
136
Tipo de produto
Livro
Peso
169 g

Referências específicas

chat Comentários (0)