Como Enfrentar Suas Tempestades

25,30 €
IVA Incluído
Categorias:

Ficha informativa

Autor Richard Carlson
ISBN 9788532517890
Edição ou reimpressão 2004
Editora Rocco
Idioma Português
Dimensões 16,5 x 14 x 2 cm
Tipo de capa Capa mole
Nº de páginas 356
Tipo de produto Livro
Peso 331 g

Richard Carlson resolveu mudar um pouco o rumo da prosa da bem-sucedida série "Não faça tempestade em copo d´água...", iniciada em 1997 e responsável pela venda de milhares de livros. Desta vez, o autor ensina a encarar as grandes crises que podem atingir qualquer um, as "tempestades", que desafiam a fé e abalam a esperança de que os problemas passem logo e tragam a tão esperada bonança. Seguindo o mesmo estilo dos livros anteriores, com capítulos curtos e um texto leve e otimista, Carlson aqui lida com questões complicadas, como a morte e a depressão. "Quando os riscos são altos, só uma coisa importa: o amor." Ele cita os atentados de 11 de setembro de 2001 para ressaltar que nos aviões sequestrados quem conseguiu telefonar para alguém só ligou para quem realmente amava e não para o "corretor de seguros". Um dos capítulos mais interessantes do livro é o que mostra como as pessoas agem errado ao lidar com a dor e o sofrimento, fugindo ou tentando ignorar o que aconteceu. "A necessidade de sofrer não desaparecerá porque você fugiu dela ou se virou em outra direção." Enfrentar o desconhecido, tarefa das mais difíceis, é o remédio amargo que o autor indica para se lidar com questões como a morte de uma pessoa querida ou uma doença incurável. Da mesma forma, o fracasso, outra palavra perigosa, é avaliada com bastante clareza por Carlson. "É um verdadeiro dom ser capaz de saber que o fracasso nada mais é do que uma ficção espertamente disfarçada em deceção." Ele explica que após um evento que não deu certo as pessoas, em vez de superarem a fase adversa e seguirem em frente, mantêm o problema vivo na imaginação e no pensamento. "E a única maneira de você ser um fracasso é pensar que é um fracasso." Uma das definições irônicas de Carlson sobre a vida é que ela é "um erro após o outro com um intervalo de tempo entre eles". Ironias à parte, ele usa a frase para mostrar que são os erros "que nos permitem fazer acertos na vida e aprender" e que sem eles a vida deixaria de ser muito interessante. É uma forma de pensar que, sem dúvida, evita o desânimo e a falta de motivação que costumam surgir após cometermos um erro. O autor questiona muito no livro a necessidade de pressa de uma "cultura inacreditavelmente impaciente" que domina a sociedade moderna. A irritação que as pessoas sentem numa fila, mesmo quando a culpa da demora não é do atendente, mostra a necessidade de se cultivar a paciência, principalmente consigo mesmo. "Qual é a definição de um milésimo de segundo? O tempo entre um sinal vermelho, que fica verde, e o barulho da buzina do carro atrás de você."

Quantidade

Richard Carlson resolveu mudar um pouco o rumo da prosa da bem-sucedida série "Não faça tempestade em copo d´água...", iniciada em 1997 e responsável pela venda de milhares de livros. Desta vez, o autor ensina a encarar as grandes crises que podem atingir qualquer um, as "tempestades", que desafiam a fé e abalam a esperança de que os problemas passem logo e tragam a tão esperada bonança. Seguindo o mesmo estilo dos livros anteriores, com capítulos curtos e um texto leve e otimista, Carlson aqui lida com questões complicadas, como a morte e a depressão. "Quando os riscos são altos, só uma coisa importa: o amor." Ele cita os atentados de 11 de setembro de 2001 para ressaltar que nos aviões sequestrados quem conseguiu telefonar para alguém só ligou para quem realmente amava e não para o "corretor de seguros". Um dos capítulos mais interessantes do livro é o que mostra como as pessoas agem errado ao lidar com a dor e o sofrimento, fugindo ou tentando ignorar o que aconteceu. "A necessidade de sofrer não desaparecerá porque você fugiu dela ou se virou em outra direção." Enfrentar o desconhecido, tarefa das mais difíceis, é o remédio amargo que o autor indica para se lidar com questões como a morte de uma pessoa querida ou uma doença incurável. Da mesma forma, o fracasso, outra palavra perigosa, é avaliada com bastante clareza por Carlson. "É um verdadeiro dom ser capaz de saber que o fracasso nada mais é do que uma ficção espertamente disfarçada em deceção." Ele explica que após um evento que não deu certo as pessoas, em vez de superarem a fase adversa e seguirem em frente, mantêm o problema vivo na imaginação e no pensamento. "E a única maneira de você ser um fracasso é pensar que é um fracasso." Uma das definições irônicas de Carlson sobre a vida é que ela é "um erro após o outro com um intervalo de tempo entre eles". Ironias à parte, ele usa a frase para mostrar que são os erros "que nos permitem fazer acertos na vida e aprender" e que sem eles a vida deixaria de ser muito interessante. É uma forma de pensar que, sem dúvida, evita o desânimo e a falta de motivação que costumam surgir após cometermos um erro. O autor questiona muito no livro a necessidade de pressa de uma "cultura inacreditavelmente impaciente" que domina a sociedade moderna. A irritação que as pessoas sentem numa fila, mesmo quando a culpa da demora não é do atendente, mostra a necessidade de se cultivar a paciência, principalmente consigo mesmo. "Qual é a definição de um milésimo de segundo? O tempo entre um sinal vermelho, que fica verde, e o barulho da buzina do carro atrás de você."

1101
2 Itens

Ficha informativa

Autor
Richard Carlson
ISBN
9788532517890
Edição ou reimpressão
2004
Editora
Rocco
Idioma
Português
Dimensões
16,5 x 14 x 2 cm
Tipo de capa
Capa mole
Nº de páginas
356
Tipo de produto
Livro
Peso
331 g

Referências específicas

chat Comentários (0)